Background.png

Cirurgias Refrativas

Antes de falarmos sobre as Cirurgias Refrativas, vamos entender cada tipo de ametropias, ou seja, os tipos de erros refrativos que existem:

Miopia

 

A miopia é um dos maiores problemas visuais! A previsão da Organização Mundial da Saúde (OMS) é que em 2020 haverá 2,6 bilhões de míopes no mundo e que o Brasil tenha 27,7% da sua população míope, índice que salta para 50,7% em 2050.

A pessoa míope pode enxergar bem os objetos que estão próximos, mas não à distância.


Normalmente a miopia ocorre devido a um globo ocular muito comprido. Desta maneira a luz dos objetos localizados à distância, convergem para um ponto focal antes de alcançar a retina.
Além deste ponto focal a luz começa a divergir.


Uma vez que a retina somente capta a imagem que chega sobre ela, o cérebro recebe uma imagem borrada do que o olho está tentando enxergar.

Miopia.jpg

Hipermetropia

A hipermetropia é o contrário da miopia, ou seja, a imagem dos objetos é focada atrás da retina, principalmente quando o olho tenta enxergar um objeto que está perto, por exemplo, a distância da leitura.

Hipermetropia.jpg

Astigmatismo

O astigmatismo é uma deformidade na curvatura da córnea, causando o foco de uma imagem em um eixo mais próximo e um outro eixo mais distante da retina.


Quando esta diferença de foco cai na frente da retina, tem-se o astigmatismo miópico, quando o foco esta atrás da retina tem-se o astigmatismo hipermetrópico e quando um eixo cai na frente e o outro atrás da retina tem-se o astigmatismo misto.

Astigmatismo.jpg

Presbiopia

A Presbiopia ou Vista Cansada é a necessidade de usar óculos para leitura. A presbiopia normalmente começa a aparecer ao redor dos 40 anos de idade. Quando o indivíduo é jovem, o cristalino é flexível e pode alterar a sua forma, permitindo focalizar os objetos nas várias distâncias independentes se estão longe ou perto. Com a idade o cristalino torna-se mais duro e perda a capacidade de mudar a sua forma para poder focar objetos próximos. 

Presbiopia.jpg
Cirurgias Refrativas
Cirurgia-Refrativa.png

As Cirurgias Refrativas tem por objetivo reduzir ou até zerar o grau desses tipos de erros refrativos que explicamos anteriormente. O maior benefício é a independência visual.


O  paciente para a cirurgia deverá ter acima de 18 anos, miopia até 20 dioptrias (graus) e astigmatismo ou hipermetropia até 8 dioptrias (graus).

Os exames necessários serão os de uma consulta oftalmológica normal, acrescidos de alguns outros complementares imprescindíveis, realizados pelo cirurgião, a fim de ser analisado se há ou não indicação de algumas das técnicas para a Cirurgia Refrativa. Por menor que seja o grau e por maior que seja a experiência e a habilidade do cirurgião, a nenhum paciente será garantido que o resultado de sua cirurgia será grau zero.

Técnicas

PRK

PRK é uma abreviação da técnica Photorefractive Keratictomy, ou Ceratotomia Fotorefrativa. Atualmente é usada para corrigir pequenos graus de miopia. Nessa técnica, o cirurgião programa o Excimer Laser para vaporizar camadas superficiais de tecido corneano. Com a mudança da curvatura da córnea, os problemas de foco são reduzidos ou eliminados.


O Excimer Laser é um tipo de laser “frio”, que não queima ou corta o tecido. Ao invés disso ele quebra a união molecular entre as células, vaporizando uma microscópica camada do tecido.


O tecido pode ser removido da superfície da córnea como no PRK, ou do interior da córnea, após uma fina camada de tecido da córnea ser levantado, como na cirurgia de LASIK.


Na cirurgia de PRK, para corrigir miopia, a curvatura central da córnea é reduzida. Para corrigir hipermetropia, a curvatura é aumentada pela remoção periférica de tecido. Para corrigir astigmatismo, é removido mais tecido de uma parte da córnea do que da outra, regularizando a curvatura.


Na maioria dos casos, apenas de 10 a 15% da espessura de tecido são removidos, sem causar qualquer tipo de enfraquecimento corneano.


O tempo de cicatrização é de aproximadamente 3 a 4 dias e os resultados muito satisfatórios, com muitas pessoas obtendo visão normal ou próximo de uma visão normal natural.


O PRK foi pela primeira vez realizado na Alemanha em 1987. Desde então, milhares de pessoas em todo o mundo passaram enxergar normalmente sem o uso de lentes corretoras.

LASIK

O LASIK é a abreviação de Laser in Situ Keratomileusis.


Para muitos pacientes a técnica de LASIK é a melhor maneira para ter uma visão natural. Esta técnica foi desenvolvida no início da década de 1960, sofreu várias modificações e em 1991 com associação do Excimer Laser, resultou na técnica LASIK.


O LASIK é usado para corrigir Miopia de até -14.00 DE, Astigmatismo de -0.50 a – 7.00 DC e Hipermetropia de +0.50 a 5.00 DE.

Para realizar a técnica de LASIK, inicialmente o cirurgião usa um aparelho chamado microcerátomo para levantar um disco superficial da córnea de 130 a 160 µ.


Este disco é elevado, ficando preso como se fosse uma tampinha de laranja. O laser ao invés de ser aplicado na superfície, é aplicado no meio da córnea.


Para se corrigir a Miopia, remove-se o tecido central reduzindo a curvatura da córnea. Na Hipermetropia é removido o tecido periférico, aumentando sua curvatura. No Astigmatismo a remoção do tecido é seletiva, regularizando a curvatura.

Após a remoção da fina camada de tecido pelo laser, o disco é recolocado de volta à sua posição original e a superfície da córnea fica totalmente íntegra, com pouco desconforto no pós operatório, tendo uma recuperação rápida da visão e permitindo a realização da cirurgia em ambos os olhos.


A cirurgia demora no máximo 5 minutos e é realizada apenas com colírio anestésico. Importante é o paciente não esfregar os olhos e evitar poeira e fumaça.


Mesmos nos casos em que a cirurgia é realizada em ambos os olhos, o paciente vai para casa imediatamente após a cirurgia usando apenas óculos escuros ou com protetores de plásticos transparente.

Cirurgia Personalizada com WAVEFRONT

A tecnologia Wavefront (Frente de onda) é uma nova tecnologia na cirurgia refrativa, que pode ser utilizada tanto nas cirurgias de LASIK, PRK ou LASEK. Através de um sensor, chamado aberrômetro, é possível analisar o caminho e a forma dos raios de luz que passam através das várias estruturas do globo ocular.


Wavefront é o método usado para medir como a luz ou imagem chega à retina através de todas as estruturas do globo ocular. Um wavefront perfeito seria totalmente plano. No olho humano o wavefront é alterado pelos erros refrativos como a miopia, hipermetropia, astigmatismo e também pelas irregularidades da córnea, cristalino e retina. Estas alterações no wavefront são chamadas de aberrações e afetam a qualidade de visão. As aberrações de baixa e alta ordem.

 

Tradicionalmente o que se avalia e se trata são as aberrações de baixa ordem como miopia, hipermetropia e astigmatismo. As aberrações de alta ordem são mais complexas e não podem ser corrigidas pelos meios tradicionais como óculos, lentes de contato ou pelas cirurgias convencionais como LASIK ou PRK. As aberrações de alta ordem podem causar sintomas de ofuscamento, halos e visão borrada ou dupla.

 

O objetivo do tratamento personalizado com laser é corrigir as aberrações presentes no olho, remodelando a córnea para resultar em ótimo resultado visual. Quando o indivíduo não tem visão de 100%, e refere problemas visuais de visão não nítida o ideal é realizar uma análise através do wavefront para ajudar o cirurgião a determinar o melhor plano operatório

Nosso Especialista
Portellinha (6).png

Dr. Waldir Portellinha
CRM-SP 25290 - RQE: 5445
Especialista em Cirurgia Refrativa,Cirurgia de Catarata e Córnea